Postagens

OSESP CELEBRA A CULTURA ESPANHOLA NA SALA SÃO PAULO COM TRÊS APRESENTAÇÕES DO PROJETO ¡VIVA ESPAÑA!

Imagem
  Regente Manuel Hernández-Silva e violonista Rafael Aguirre, além da soprano Beatriz Díaz e do tenor César Augusto Gutiérrez, todos espanhóis, participam dos concertos temáticos, entre 19 e 21 de maio; performance de sexta-feira (20/mai) será transmitida ao vivo no YouTube da Osesp.   É hora de saudar a Espanha e a cultura espanhola na Sala São Paulo: entre 19 e 21 de maio, a  Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo -- Osesp  apresenta o projeto  ¡Viva España! , que inclui três performances inteiramente dedicadas à terra de Miguel de Cervantes — das obras aos convidados — na sala de concertos mais importante da cidade. A regência ficará a cargo de  Manuel Hernández-Silva , e participam também o violonista  Rafael Aguirre  e os cantores líricos  Beatriz Día z (soprano) e  César Augusto Gutiérrez  (tenor). A performance do dia 20 de maio terá transmissão digital no   canal da Osesp no YouTube .   O compositor Manuel de Falla e seus compatriotas Isaac Albéniz, Enrique Granados e Joaqu

SÃO PAULO CIA DE DANÇA ABRE TEMPORADA 2022 COM ESTREIAS INSPIRADAS PELO MODERNISMO E O "LAGO DOS CISNES".

Imagem
  (1) Cena de  O Lago dos Cisnes , de Mario Galizzi │ Foto: Silvia Machado (2) Cena de  Madrugada,  de Antonio Gomes   │ Foto: Charles Lima   Espetáculos acontecem entre maio e junho no Theatro São Pedro, com participação da Orthesp, e no Teatro Sérgio Cardoso A  São Paulo Companhia de Dança (SPCD) , corpo artístico da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela Associação Pró-Dança, dá início à primeira parte de sua Temporada 2022, intitulada  Cor do Arco-Íris . Entre os meses de maio e junho, a Companhia sobe ao palco do Theatro São Pedro – que receberá espetáculos inspirados pela celebração do centenário da Semana de Arte Moderna de 2022 – e no Teatro Sérgio Cardoso – tradicional casa das temporadas da SPCD – para apresentar três programas distintos com duas obras inéditas.                                        As primeiras apresentações acontecem de 26 a 29 de maio no Theatro São Pedro, equipamento da Secretaria de Cultura e Economia Cr

CRÔNICAS OPERÍSTICAS: TRIBUTO A TEREZA BERGANZA NO THEATRO SÃO PEDRO/SP.

Imagem
  Tereza Berganza sendo homenageada no Theatro São Pedro/SP. Conhecer Tereza Berganza! Nunca imaginei que teria essa chance. Na era do CD, ouvia sua  Carmen  de Bizet ao lado de Plácido Domingo. A voz encorpada de mezzo-soprano me fazia sonhar: viajar pelo Mediterrâneo, ir à  Espanha, conhecer Sevilha e adjacências. Lembro que não tinha ainda nenhuma Carmen em vídeo e não tinha assistido a nenhuma récita ao vivo, a voz da Tereza era a única referência dessa ópera. Voz quente, espanhola como a Carmen, técnica soberba, emoção no fraseado.Que cantora! Da escola antiga,  que exige voz e técnica. Tudo começa em 2009, quando recebo uma mensagem eletrônica de Paulo Esper:  "Vou trazer a Tereza Berganza", ele dizia. Quando o Paulo diz uma coisa dessas é batata. Acontece. Divulguei com prazer,  nesse blog,  o tributo em sua homenagem. Na récita do  Barbeiro de Sevilha  ele ainda insiste para que eu vá no dia 30 ver o Tributo. Nem precisava insistir Paulinho, eu não perderia por nada d

MORREU O MEZZO-SOPRANO ESPANHOLA TEREZA BERGANZA.

Imagem
                                            A mezzo-soprano espanhola Teresa Berganza, que se apresentou nos principais teatros do mundo desde sua estreia na década de 1950, morreu nesta sexta-feira aos 89 anos, informaram autoridades culturais e a mídia espanhola. "Lamentamos o falecimento de Teresa Berganza", escreveu o ministério da Cultura em sua conta no Twitter, enquanto o primeiro-ministro, Pedro Sánchez, destacou que Berganza foi "uma das grandes vozes femininas nos palcos do mundo". "Sua voz, sua elegância, sua arte estarão sempre conosco", concluiu Sánchez no Twitter sobre a cantora madrilena, especialista nos repertórios dos compositores Gioachino Rossini e Wolfgang Amadeus Mozart, além da personagem Carmen da ópera de mesmo nome de Georges Bizet. Um comunicado da família transmitido à imprensa inclui uma mensagem póstuma da cantora: "Não quero anúncios públicos, nem velórios, nem nada. Vim ao mundo e ninguém soube, por isso quero o mesmo q

OFICINA - ENCONTROS LÍRICOS COM AÍDA, ÓPERA DE GIUSEPPE VERDI COM SERGIO CASOY.

Imagem
 

BIDU SAYÃO 120 ANOS: ELA ENCANTOU COM ÓPERA E FOI ENCANTADA NO SAMBA. ARTIGO DE LUIZ CLAUDIO FERREIRA NO BLOG DE ÓPERA & BALLET. .

Imagem
                  Acervo Museu Villa-lobos/Ibram Cantora lírica carioca fez grande parte da carreira nos Estados Unidos No verão, os passeios de barco no litoral da cidade de Camden (estado do Maine, no extremo nordeste nos Estados Unidos) atraem tantos turistas que chegam a dobrar a população de apenas cinco mil pessoas do lugarejo. Mas, em setembro de 1994, o carnavalesco Milton Cunha não foi a turismo para o local. Aliás, como ele recorda, a nevasca dificultava muito a caminhada. O gelo vinha na altura do peito. A missão não era simples. Mas não por causa da neve.  Responsável pelo carnaval da escola de samba Beija-Flor de Nilópollis, ele foi tentar convencer a musa do ano seguinte a desfilar no Sambódromo em um enredo em homenagem a ela. A cantora lírica brasileira Bidú Sayão, com 92 anos, abriu a porta com um sorriso. “Sim!!” A resposta aqueceria o coração deles naquele momento e, também, quando fevereiro chegou.  Abertas as cortinas da memória, a cantora de ópera disse que o desf