CARMEN, A CIGANA MAIS FAMOSA DA ÓPERA SEDUZ EM SANTO ANDRÉ PELO PROGRAMA ÓPERA CURTA. CRÍTICA DE ALI HASSAN AYACHE NO BLOG DE ÓPERA E BALLET.

   


   O programa Ópera Curta: A Ópera Contada e Cantada idealizado por Cleber Papa e Rosana Caramaschi é o maior difusor cultural operístico do Brasil. Títulos em versão resumida, com orquestras de poucos músicos e criatividade elevada rodam os teatros de diversas cidades do interior do Estado de São Paulo. Mais de 40 cidades tiveram e terão o privilégio de receber títulos como: La Bohème, La Traviata, Madama Butterfley  e Carmen . Quem pensa que a galera do interior não se interessa pelo tema está redondamente enganado, em todas as cidades os espetáculos tem casa cheia, quando não lotada.
   A cidade de Santo André contou com um programa duplo, Sábado e Domingo nos dias 23 e 24 de Agosto recebeu em horários distintos La Bohéme e Carmen. A estrutura do teatro e da cidade permitiu que a Cia fizesse uma apresentação mais elaborada, a orquestra com mais de duas dezenas de músicos e o coro dão riqueza ao espetáculo.
   A direção de Cleber Papa acerta ao manter todas as árias conhecidas da Carmen de Bizet. O texto falado explica toda a ação com fatos que nem no libreto original se encontram, informações essas disponíveis apenas no livro de Prosper Mérimée. Os noventa minutos transcorrem com uma ação dinâmica onde cantores interpretam personagens, cenários adequados e figurinos corretos enriquecem o contexto. A Carmen elaborada por Papa tem temperamento explosivo e volúvel como deve ser uma boa Carmen, o Don José é ciumento e inseguro e o toureiro Escamillo valentão a mais um apaixonado pela cigana. Tudo didático e sem invencionices modernas.
   Abel Rocha regeu a Orquestra Sinfônica de Santo André, sua opção foi a segurança nos andamentos lentos. Conseguiu sonoridade limpa e acima da média para uma orquestra que não está acostumada com ópera. O barítono Vinícius Atique foi o narrador como Lilas Pástia e encarnou o toureiro Escamillo. Apresentou boa musicalidade em uma voz com graves consistentes. Gilberto Chaves fez um Don José com agudos brilhantes que combinados com grandes atributos cênicos deram credibilidade ao personagem. O tenor pode cantar esse papel em qualquer teatro brasileiro, a prova é que enfrentou a difícil ária  La fleur que tu m'avais jetée com segurança e um sentimentalismo apaixonado na voz. Tais Bandeira mostrou um lirismo adocicado na voz que encanta pelo colorido do timbre. Sua Micaela começa jovem e insegura e termina determinada na última ária. Interpretação vocal e cênica corretas e elaboradas.
   Laura Aimbiré encarnou a cigana mais famosa da ópera. Carmen é uma personagem complexa, muitos mezzos-sopranos abusam na dose e caem na vulgaridade. Aimbiré interpretou na medida certa, vocalmente faltou brilho em notas graves compensadas com um timbre que exala sedução.
   O público da cidade de Santo André/SP assistiu gratuitamente a um grande espetáculo de ópera. Elenco nacional de qualidade em uma produção resumida que não perde a essência da ópera completa. O teatro lotado confirma o interesse da população pela ópera.

Ali Hassan Ayache
 
 
      

Comentários