PRETELEIRA NELES : GRAVAÇÕES QUE MERECEM FICAR MOFANDO NA PRATELEIRA. LA BOHÈME COM ANDREA BOTELLI.

  


   Andrea Bocelli tem em seu currículo uma centena de gravações de músicas românticas, folclóricas e trechos famosos de óperas. Seu romantismo exacerbado e suas músicas fáceis de assoviar caíram no gosto do público mundial . Muitos até o imaginam cantor lírico:  sempre que digo que gosto de ópera, pessoas perguntam sempre dos mesmos cantores. Pavarotti, Domingo, Carreras, Callas, Caballé e Bocelli são alguns deles.
   Essa "La Bohème",  gravada por Bocelli, Fritolli e com regência de Zubim Mehta,  é uma afronta a Puccini. Lembro que quase todos os grandes cantores do século passado já cantaram e gravaram "La Bohème", então temos que nivelar por cima.
   Começando pela regência de Mehta, tempos estranhos e imprecisos descaracterizam a obra. Barbara Fritoli está abaixo da média, sua voz está volumosa, grande demais para a inocente personagem. Ouça a Callas, a Freni ou a Tebaldi e aprenda como se controla o material vocal!
   Bocelli está lamentável, sua voz é pequena, sem brilho . Sua técnica é rudimentar, não entende "La Bohème", não expressa o sentimento do personagem e nem deve saber quem é Puccini. Seu timbre está opaco, bom para melodias românticas e péssimo para ópera.
 Em visita ao Brasil o tenor fez o que mais sabia, lotou um parque paulistano, cantou trechos de óperas e canções populares. Ovacionado pelo público presente, que chorou emocionado, imaginando ali um cantor de ópera. Microfones e amplificadores enganam.  
Consultando a discografia de Bocelli veremos inúmeros CDs que os filhos dão às mães no Natal, elas adoram esse romantismo. Bocelli continue gravando  e cantando assim , ópera completa não é sua praia. 
Amigos: prateleira neles, esse CD merece ficar nas catacumbas de Roma .

Ali Hassan Ayache

Comentários

  1. Marcelo Lopes Pereira20 de outubro de 2014 11:29

    Bocceli nunca foi nem nunca será um cantor lírico ele é um André Rieu que canta, eles dois dariam uma ótima dupla e ganhariam muito dinheiro juntos.

    ResponderExcluir
  2. A difícil tarefa de escolher entre o que é certo e o que é fácil esbarra no fato que, para expor e defender uma ideia não é preciso jogar sujo.
    Ter bom gosto significa não aceitar qualquer coisa, o que é certo.
    Criar uma matéria, na falta de assunto, para falar mal de um disco, é fácil.
    Boccelli existe para provar que se pode cantar musica popular com técnica lirica, e não há nada de errado com isto. Isto também é certo
    Agora atacar Barbara Frittolli e Zubin Mehta e todo um trabalho para justificar o fato de este critico não gostar de Boccelli, é fácil, e como todas as coisas fáceis, é sujo.

    A gravação de IL Trovatore de 1956 de Herbert von Karajan com Giuseppe di Stefano no papel titulo também é péssima, com um tenor com voz e técnica muito aquém do personagem, mas como se trata do grande "Di Stefano", o tenor da voz mais bonita de todos os tempos, ninguém fala nada. Ninguém ousa dizer que o divo dos anos 50 gritou "di quella pira", por que criticar a Di Stefano é um sacrilégio, mas como Boccelli canta musica popular e se aventura a cantar arias de operas e gravar operas inteiras, então para esta heresia todo castigo é pouco.

    Gosto muito deste blog, mas matérias como esta eu acho um desperdício.

    ResponderExcluir

Postar um comentário