NOTAS OPERÍSTICAS:SALA MINAS GERAIS, FESTIVAL AMAZONAS DE ÓPERA, PERDAS E GANHOS NA EUROPA.


                                

SALA MINAS GERAIS : A segunda sinfonia de Mahler teve o privilegio de inaugurar a Sala Minas Gerais, como sempre autoridades discursaram e o Hino Nacional do Brasil foi executado. Sabemos que o governador do Estado, Fernando Pimentel não vê com bons olhos o projeto, seu secretário da cultura Angelo Oswaldo prometeu terminar as obras em 2015. Parece discurso feito no calor do momento, ele mesmo declarou anteriormente que a Sala Minas Gerais é " uma Versalhes construída em Minas, com o povo à margem". Dois fatores chamam a atenção: Lugares vazios no dia da inauguração e o preço dos ingressos,este bem inferior aos cobrados pela OSESP. Pelo que se vê a direção mineira não é elitista, enquanto a paulista quer somente os bacanas frequentando seu espaço.

FESTIVAL AMAZONAS DE ÓPERA : Informações chegadas de Manaus informam que o Festival Amazonas de Ópera não ocorrerá esse ano. O governo estadual amazonense, para reduzir despesas, resolveu transformar o festival e diversos outros eventos culturais em bienal. Palavras bonitas e sem nexo dizem que a ideia do governador é reduzir as despesas do Estado com produções externas, valorizar artistas e companhias locais e tornar o setor cultural do Amazonas mais popular.

PERCAS E GANHOS A CAMINHO NA EUROPA- Luiza Lopes é bailarina da São Paulo Cia de Dança, a jovem une grande beleza e técnica excepcional que sempre emocionou o público do Brasil. Informo com tristeza que Luiza Lopes está de partida a a Europa, será primeira solista do Royal Swedish Ballet de Estocolmo. Cia com mais de duzentos anos de tradição na dança e uma das mais importantes da Europa. Perde o público brasileiro e Luiza Lopes ganha a chance de dançar em uma grande cia européia.  

Ali Hassan Ayache



                                                               Luiza Lopes , foto Internet.

Comentários