GALLARDO- DÔMAS ADAPTA VOZ E REPERTÓRIO NO THEATRO SÃO PEDRO. CRÍTICA DE ALI HASSAN AYACHE NO BLOG DE ÓPERA E BALLET.


   

   A Série Concertos Internacionais do Theatro São Pedro está em pleno vapor , somente esse ano apresentará mais oito espetáculos com grandes solistas e regentes. No dia 15 de Maio foi a vez da soprano chilena Cristina Gallardo-Dômas, cantora que frequentou  os grandes teatros líricos do mundo. Quando vi seu nome imaginei um programa recheado de heroínas de Puccini, como Mimi e Liu e Butterfley, papéis que a consagraram pelo mundo afora.
   Nada disso aconteceu, o principal do programa foi Mahler com Lieder eines Fahrenden Gesellen e Manuel de Falla com a suíte de El Amor Brujo. A voz amadurecida de Gallardo-Dômas tem um timbre escuro, quente e uma técnica impressionante. Consegue vencer difíceis passagens da partitura de Mahler com facilidade. Entendeu que com o avançar da idade é necessário mudar o repertório e adaptar a voz a nova realidade.
   Gallardo-Dômas abandonou as mocinhas ingênuas e optou por personagens maduras. As peças apresentadas são compatíveis com sua fase atual, consegue isso através de uma voz penetrante e vigorosa. Possuí um calor marcante nos agudos e encanta com o fraseado. Pecou apenas na indumentária, após o intervalo entrou com um vestido colorido verde e amarelo, mais clichê e de péssimo gosto impossível.
   A Orquestra do Theatro São Pedro regida por Henrique Villas-Boas esteve mediana, em diversas passagens na obra de Mahler oscilou entre os naipes. As cordas eram superadas pelas madeiras em volume. Apresentou significativa melhora na segunda parte sendo compatível com a música de Manuel de Falla.
    A Série Concertos Internacionais é diversificada, apresenta o que há de melhor nas vozes brasileiras e internacionais. Cantores em diversas fases da carreira se apresentarão no palco do São Pedro. Para esse ano ainda teremos Luisa Francesconi, Michel Hendrick, Lee Bisset, Rodolfo Scandiuzzi, Denise de  Freitas e Jean Nardoto regidas por Luiz Fernando Malheiro e Marco Boemi.
Ali Hassan Ayache  

Gallardo-Dômas, foto Internet.


Comentários