VIAGEM AO MUNDO DA ÓPERA.

OSB e Eliane Coelho vão de Monteverdi a Beethoven na Cidade das Artes e na Sala Cecília Meireles.


Um passeio pela história da ópera em ótima companhia – é o que promete os concertos que a Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB), sob a regência do maestro Lee Mills, realiza ao lado da consagrada soprano brasileira Eliane Coelho nos dias 12 de maio, às 21h, no Teatro de Câmara da Cidade das Artes, e 13 de maio, às 20h, na Sala Cecília Meireles, no Rio de Janeiro.
“Estes concertos nos mostram a extensão dramática criada pelos compositores da ópera barroca até o final do período Clássico. Eliane cantará uma seleção de árias especiais intercaladas de algumas aberturas, fazendo uma costura expressiva de toda a dramaticidade presente neste repertório ao longo da apresentação”, explica o maestro.
Para a récita da terça-feira, 12 de maio, na Cidade das Artes, a orquestra se organiza em formação de câmara para a interpretação de fragmentos das óperas Orfeo, de Monteverdi; Iphigénie em Tauride (ária Cette nuit – O toi qui prolongeas mes jours), de Glück; abertura de Alceste, também de Glück; Medeia (ária Vous voyez de vos fils), de Cherubini; a cena Ah Pérfido!, de Beethoven; e a peça Romance n. 1 em sol maior, Op. 40, também de Beethoven.
No dia seguinte, 13 de maio, na estreia da série OSB na Sala, o programa segue semelhante. Somam-se ao repertório a abertura da ópera Iphigénie en Aulide, de Glück; Idomeneo, K. 366 (ária O smania! O furie!), de Mozart; e as aberturas das óperas Medeia (de Cherubini) e Egmont, Op. 84, de Beethoven.
Para o diretor artístico da OSB, Pablo Castellar, este é um concerto para quem deseja viajar no tempo: “Partiremos do século 16, bem no momento da transição da Renascença para o Barroco realizada pelo compositor Claudio Monteverdi. Em seguida conheceremos a obra do mais importante protagonista da reforma operística do período Barroco, o alemão C. W. Glück. Com o importante legado deste compositor, mergulharemos no período Clássico ouvindo Cherubini, Mozart e chegaremos finalmente à virada do Classicismo para o Romantismo, com Beethoven”.
Os ingressos custam R$ 40 em ambos os espaços e já estão à venda nas bilheterias dos respectivos locais e nos sites Ingresso Rápido, para a Cidade das Artes, e Ingresso.com, para a Sala.

Sobre Eliane Coelho
Carioca, diplomou-se na Escola Superior de Música e Teatro de Hannover, para depois seguir uma brilhante carreira no exterior. De 1983 a 1991 esteve contratada pela Ópera de Frankfurt, na Alemanha, e a partir de setembro de 1991, pela Ópera de Viena, Áustria, na qual recebeu o título de Kammersängerin em 1998. Atuou em numerosos papéis, entre eles: Tosca, Butterfly, Fedora (com Plácido Domingo), Margherita e Elena (Mefistofele), Elettra (Idomeneo, regência de sir Colin Davis), Lady Macbeth (com Leo Nucci), Leonora (Trovatore), Aida, Desdemona (Otello, com Renato Bruson), Elvira (Ernani), Abigaille (Nabucco, com Leo Nucci), Helene (Jerusalem, com José Carreras, Furlanetto, Samuel Ramey, regência de Zubin Metha).
De todos, talvez seja justamente o papel-título de Salome, de R. Strauss, uma de suas interpretações mais marcantes. Elogiada internacionalmente, Eliane deu vida e voz à princesa da Judeia centenas de vezes. Cantou-a ao lado de artistas como Domingo, Carreras, Ferruccio Furlanetto, Mehta, Terfel, Rysanek, Jerusalém, Zednik, Weikl, Fassbaender, Weikl, Runnicles, Tear ou Götz Friedrich.

Sobre Lee Mills
Mills assumiu o cargo de maestro assistente da OSB em 2014, após atuar como diretor musical da Sinfônica da Universidade de Towson, em Maryland, por três anos. Vencedor da bolsa da Fundação Georg Solti, nos EUA, formou-se em Regência Orquestral em 2011, tendo como tutores Marin Alsop e Gustav Meier. Foi o fundador da Orquestra de Câmara Divertimento em Walla Walla, Washington, e já atuou à frente das Sinfônicas de Saint Louis, Baltimore e Bozeman, dos balés de Moscou e Montana, e de diversos outros grupos.

Foto: Jackeline Nigri

SERVIÇO:
Orquestra Sinfônica Brasileira
Eliane Coelho, soprano
Lee Mills, regência

12 de maio, terça-feira, às 21h
Teatro de Câmara da Cidade das Artes (Av. das Américas 5.300, Barra da Tijuca – Rio de Janeiro. Tel.: 21 3325-0102)
Ingressos a R$ 40, com 50% de desconto para maiores de 60 anos, menores de 21 anos, estudantes, pessoas com necessidades especiais e professores da rede municipal de ensino; e 20% para membros do Programa Travessa Leve, da Livraria da Travessa, e Assinantes OSB. Os descontos são limitados a uma pessoa e não cumulativos.
Funcionamento da bilheteria: de terça a domingo, das 13h às 19h. Em dias de espetáculo a partir das 13h até 30 minutos após o início do espetáculo. Compras e Informações pelo telefone 4003-1212 ou pelo site IngressoRápido.
Capacidade: 1.250 pessoas
Estacionamento: R$ 10 por veículo

13 de maio, quarta-feira, às 20h
Sala Cecília Meireles (Largo da Lapa, 47, Centro – Rio de Janeiro. Tels.: 21 2332-9223 e 2332-9224)
Ingressos a R$ 40, com meia entrada para estudantes e idosos, à venda na bilheteria da Sala e no site Ingresso.com.
680 lugares
Fonte:  http://www.movimento.com/

Comentários