GINASTERA, TCHAIKOVSKY E A ORQUESTRA EXPERIMENTAL DE REPERTÓRIO NA SALA SÃO PAULO. CRÍTICA DE ALI HASSAN AYACHE NO BLOG DE ÓPERA E BALLET.

  

   Proibida de colocar os pés no Theatro Municipal de São Paulo, onde se apresentava em uma temporada regular no passado a Orquestra Experimental de Repertório tenta se reinventar tocando em diversos palcos. Para enriquecer sua musicalidade convida regentes de fora visando mostrar aos músicos novas visões das obras.       
   A apresentação nas Matinais na Sala São Paulo no último dia 28 de Junho trouxe um programa curto e entrada gratuita. O programa contendo a suíte do balé Estancia de Alberto Ginastera  e a quarta de Tchaikovsky é ideal para um público nem sempre familiarizado com a música clássica. Para a regência convidaram o jovem Miguel Campos.
   A Orquestra Experimental de Repertório continua apresentando a qualidade que lhe é característica. Miguel Campos conseguiu extrair dela uma musicalidade vibrante com uma sonoridade volumosa e ágil. Estancia é a mais famosa obra de Ginastera, compositor argentino que se propõe nessa obra a narrar a epopeia argentina através de temas gaúchos. Influenciado por Copland e Stravinsky sua obra mostra passagens fortes, temas agressivos e incessantes, só relaxando no segundo movimento, esse mais lírico e sensual. 
   Miguel Campos é jovem e promissor regente brasileiro, em Estancia utiliza toda a força da obra em ritmos rápidos e sonoridade elevada. A percussão é forte no terceiro movimento, na velocidade sacrifica as notas e parte da exuberância musical da peça. Consegue no todo uma leitura vibrante e rápida, como os gaúchos, homens sempre fortes e viris.
   A Quarta Sinfonia de Tchaikovsky é recheada de belas melodias, estas exploradas a contento por Miguel Campos. Inspirado na obra anterior mostra força excessiva nos metais no primeiro movimento e abusa do volume nas madeiras no segundo. No terceiro movimento consegue nas cordas um lirismo sensual, único e relaxante. 
   Apresentação com ingressos gratuitos e a Sala São Paulo com bom público, em sua maioria jovens que foram prestigiar a Orquestra Experimental de Repertório, assim sendo os aplausos entre os movimentos são perdoáveis. Os celulares ligados fotografando e gravando não. 
Ali Hassan Ayache             

Comentários