RioHarpFestival, o maior festival internacional de harpas do mundo, chega ao CCBB São Paulo em 4 dias de apresentações intensas.



Centro Cultural Banco do Brasil apresenta X RioHarpFestival de 10 a 14 de junho com entrada franca.
Depois do sucesso no Rio de Janeiro com cerca de 130 concertos no CCBB RJ e em vários espaços, agora é a vez do CCBB SP receber músicos da Argentina, Brasil, Canadá e Espanha.
O espanhol Yerko Lorca estudou kora (harpa da África Ocidental) em Bamako, maior cidade de Mali. No repertório interpretará clássicos africanos. O argentinoLucas Petroni toca harpa paraguaia. A harpista canadense Gianetta Baril realiza ensino voluntário de harpa na Ação Social pela Música do Brasil no Rio de Janeiro. A Burning Symphony formada por harpa, flauta e violoncelo, apresenta, entre outras, músicas de cinema.
Há instrumentos de origens arcaicas, com sonoridade delicada, que chegam despertando curiosidade aos nossos ouvidos, tão acostumados ao barulho da vida moderna. A harpa, felizmente, vem atravessando milênios sem deixar de se adaptar a diferentes culturas e estilos musicais e sem minguarem os seus adeptos, apesar de não gozar de tantos praticantes ou de um repertório tão amplo quanto os de outros instrumentos clássicos, como o piano ou o violino.
RioHarpFestival 
Realizado anualmente no mês de maio, o RioHarpFestival entra em sua décima edição. Um evento promovido pelo projeto Música no Museu e que enaltece a harpa, o instrumento mais antigo da humanidade – alguns acreditam que ela tenha surgido mil anos antes de Cristo - é envolto de uma vasta simbologia.
 A ideia é privilegiar a música de boa qualidade colocando em evidência esse instrumento milenar, sem distinção de procedência, escola ou época; da música medieval aos clássicos europeus, dos românticos aos impressionistas, dos modernos aos contemporâneos brasileiros e estrangeiros.
As apresentações destacam-se pela diversidade de gêneros e estilos musicais que esse instrumento possibilita: clássico, étnico, popular, rock, latino-americana e até o funk. 
Consolidado na agenda cultural carioca, o RioHarpFestival ganha, a cada ano, cada vez mais espaços. Nessa edição, além do Rio de Janeiro e São Paulo, os concertos serão realizados em Minas Gerais, Alagoas e também no exterior - Portugal e Espanha. 
O festival contabiliza, só no Rio de Janeiro, 105 apresentações no total, envolvendo 36 músicos de 25 países e com um público de aproximadamente 25.000 pessoas.

X RioHarpFestival
Local: CCBB São Paulo
De 10 a 14 de junho – quarta a domingo
Entrada Franca

Dia 10 de junho, quarta-feira13h  Músico: Yerko Lorca (Espanha) – kora, a harpa africana
Programa: Clássicos africanos.
15hMúsico: Gianetta Baril (Canadá).harpa clássica.
Programa: clássicos internacionais.
19hMúsico: grupo Madre Natureza  Brasil/Argentina.- harpa céltica.
Programa: 
Tradicional inglesa, anônimo renascença, T.O'Carolan,   tradicional irlandesa,
Dia 11 de junho, quinta-feira13hMúsico: Lucas Petroni (Argentina) - harpa paraguaia.
Programa: clássicos latino americanos.

15h
Músico: Yerko Lorca Espanha- kora, a harpa africana 
Programa: Clássicos africanos.

19h
Músico: Gianetta Baril (Canadá).harpa clássica
Programa: clássicos internacionais.

Dia 12 de junho, sexta-feira13hMúsico: Yerko Lorca Espanha- kora, a harpa africana 
Programa: Clássicos africanos.

15h
Músico: Lucas Petroni, harpa paraguaia, (Argentina).
Programa: Clássicos latioamericanos

19h
Músico: Vanja Ferreira (Brasil). Harpa clássica
Programa: Clássicos Internacionais.
Dia 13 de junho, sábado12hMúsico: Duo Dario Andino (Argentina) e Cinthia Almeida (Brasil) - voz.
Programa: 
Clássicos Internacionais. 

15h
Músico: Nando Araújo e convidados (Brasil).
Programa: Música Tradcional Irlandesa e outros clássicos internacionais.

18h
Músico: Nando Araújo e convidados (Brasil).
Programa: Música Tradcional Irlandesa e outros clássicos internacionais.
Dia 14 de junho, domingo
12h
Músico: Marina Mello (Brasil)- harpa clássica.
Programa: Clássicos internacionais

15h
Músico: Burning Symphony (Brasil)- Harpa / Harp – Jonathan Faganello
Violoncelo / Cello – Pedro Bortolin
Flauta / Flute – Celso Lazzarini
Programa: Clássicos do cinema e do rock

18h
Músico: Burning Symphony 
(Brasil) - Harpa / Harp – Jonathan Faganello
Violoncelo / Cello – Pedro Bortolin
Flauta / Flute – Celso Lazzarini
Programa: Clássicos do cinema e do rock.

Detalhes dos músicos:
O espanhol Yerko Lorca é compositor e intérprete de kora e harpa. Em 2004, viajou para Mali, procurando alguém para ensiná-lo a tocar kora (harpa da África Ocidental). Estudou kora moderno com Touymani Diabate e kora tradicional com Mamadou Kouyate.  Tem trabalhado com vários instrumentos e sons de diferentes culturas: tambores, congas, bongôs, dum-dums e djembe, tigelas de metal e quartzo, digerido, tambor do oceano e bodhrán. Recentemente, ele começou a tocar lira grega.

Vanja Ferreira é carioca e uma das mais atuantes e destacadas harpistas brasileiras. Selecionada no programa "Rumos Música Itaú Cultural" 2010/2012 é harpista solista na Orquestra Sinfônica Nacional (OSN) - UFF e dedica-se à música de câmara e recitais solos.

Grupo Madre Natureza
Dario Andino – harpa e percussão
Fernanda Ferretti – violão, cuatro e voz
Marcelo Miranda – violão, charango, mandolin, viola caipira e flauta
O grupo é formado pelo harpista argentino Dario Andino que desenvolve um trabalho autoral na música new age e pelos violonistas Marcelo Miranda e Fernanda Ferretti, do duo Olam Ein Sof, no qual fazem um trabalho autoral de música neofolk.Dario Andino estuda harpa Índia-paraguaia. Aos 16 anos, foi primeiro lugar no festival de música Latino-América na Argentina. Foi vencedor do Festival Nacional do Takuare´e Paraguai 1998. Em 2009, participou do show de Badi Assad no Teatro GazetaEm 2007 lançou seu primeiro disco Independente, de músicas em um estilo Wordl Music e New Age com Harpa Paraguaia, titulado Naturalmente Harpa. 
O Madre Natureza interpreta de uma maneira muito própria e diferenciada canções medievais, renascentistas e celtas, utilizando em seus arranjos instrumentos comuns na cultura sul americana, como a harpa paraguaia, charango, viola caipira, cuatro venezuelano, também violões de nylon, aço e de 12 cordas, além da voz, flauta doce e alguns instrumentos de percussão.
Essas músicas remetem a tempos onde o homem tinha a natureza como a grande mãe e através das suas músicas e histórias mostravam o quanto eram conectados a ela. Buscando em pleno século XXI em meio a tanta tecnologia, com sons eletrônicos e sintetizados, explorar a sonoridade pura dos instrumentos acústicos.
A estreia ao vivo aconteceu em novembro de 2012, onde tiveram ótima recepção do público presente e apresentaram as músicas que estão sendo gravadas para o seu primeiro CD, que será lançado de forma independente no primeiro semestre desse ano de 2013.

O argentino Lucas Petroni começou a tocar harpa aos nove anos de idade, apresentando-se em diversos cenários do seu país, como Santiago del Estero, Córdoba e Buenos Aires. Também se apresentou em vários festivais internacionais, como no Chile, em duas vezes no Festival Internacional Arpas al Sur del Chile, no Festival Internacional Infantil de Harpa na Colômbia, no Festival do Takuaree no Paraguai (Gurambare) e no Centenário do Coronel Bogado, Paraguai.

Músico Nando Araujo e amigos (Brasil)
Nando Araujo (harpa céltica)Willian Storti: (Acordeom)
Deva Mille: (Percussão) 
Alvaro Petersen (violão e viola)
Pedro Sossego (Contrabaixo)
Nando Araujo é multi-instrumentista e compositor, mas foi na Harpa Céltica que encontrou uma forma de expressar as suas ideias musicais. Graduado em Filosofia e pós-graduado em Musicologia (mestrado), Nando também desenvolve trabalhos de pesquisa e docência em Filosofia da Música e Estética junto à Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp). Possui livros editados e participações em Congressos Nacionais e Internacionais de Musicologia e Filosofia da Música. É apresentador e produtor do programa de televisão Conversa Afinada (TV Universitária).  Tem se apresentado em vários palcos com o Show Pelas Trilhas dos Celtas, um espetáculo artístico e filosófico.     

Marina Mello iniciou seus estudos de música aos 11 anos de idade. Em 2005, aos 13, escolheu a harpa como vocação e passou a ter aulas com professora Cláudia Silva. Desde 2008, é aluna da professora Cristina Carvalho. Em 2011, ingressou na Universidade de Brasília (UnB) para a Licenciatura em Música.
Como harpista, Marina já atuou em importantes orquestras como a Orquestra Art Brasília, Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás e Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro. Participou de relevantes festivais no Brasil e na América Latina, como: 40 e 41 Festival Internacional de Campos do Jordão; 26 a 33 Curso Internacional da Escola de Música de Brasília e I Curso de Aperfeiçoamento Técnico de harpas de pedais, em Caracas, Venezuela.
Burning Symphony
Harpa / Harp – Jonathan Faganello
Violoncelo / Cello – Pedro Bortolin
Flauta / Flute – Celso Lazzarini

Formada por músicos do interior paulista, tem como proposta executar, de forma inusitada e desafiadora, os clássicos do Rock, Heavy Metal, Power Metal, Metal Sinfônico e outros, com instrumentos eruditos.

Serviço:

Centro Cultural Banco do Brasil – São Paulo
Rua Álvares Penteado, 112 - Centro
CEP: 01012-000 | São Paulo (SP)
Fone: (11) 3113-3651
Funcionamento: quarta a segunda, das 9h às 21h
Classificação indicativa: livre
Entrada Franca

Comentários