JAZZ SINFÔNICA COMEMORA 25 ANOS EM CONCERTO ESPECIAL NO TMRJ.

Sob regência do maestro João Maurício Galindo, Orquestra se apresenta pela primeira vez no RJ.


Orquestra Jazz Sinfônica apresenta um concerto especial na Série Trajetórias do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Sob regência do maestro João Maurício Galindo, o conjunto sobe ao palco no dia 16 de agosto, domingo, a partir das 11h30, com grandes sucessos da música popular brasileira.
“Neste ano em que a Jazz completa 25 anos, estamos muito felizes em apresentar um repertorio popular brasileiro em um dos palcos mais representativos do Brasil”, comenta o maestro Galindo.
Para este concerto o grupo apresenta um programa que traz o melhor do repertório da orquestra. Entre eles, os clássicos de compositores como Cyro Pereira, Milton Nascimento, Tom Jobim, entre outros.

Sobre a Jazz Sinfônica
A Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo foi criada em 1990, pela Secretaria de Estado da Cultura, com a proposta de manter viva a tradição das orquestras da Era de Ouro do Rádio (décadas de 1940/1950) e de vestir a música popular com uma roupagem sinfônica. Sua formação, bastante singular, une a orquestra nos moldes eruditos a uma big band de jazz, produzindo uma sonoridade ímpar e lhe conferido protagonismo na criação de uma nova estética orquestral brasileira. O maestro Cyro Pereira, fundador da orquestra, criou seu repertório fundamental, transpondo melodias populares de compositores como Luiz Gonzaga, Tom Jobim e Pixinguinha para a grandiosidade do som sinfônico.
Integrada por 82 músicos, a Jazz Sinfônica apresenta-se em concertos regulares na capital e interior do estado de São Paulo, já desenvolveu mais de 1,4 mil partituras baseadas em temas da música popular brasileira e mundial. Orquestrou músicas durante exibições de filmes, como Encouraçado Potemkin e Metrópolis. No cinema, também ganhou seu primeiro documentário, em 2011: A Nave – Uma viagem com a Jazz Sinfônica de SP.
A orquestra já dividiu o palco com músicos brasileiros e internacionais, como Tom Jobim, Gal Costa, João Bosco, Diane Schuur, Dee Dee Bridgewater, Paquito D’Rivera e muitos outros. João Maurício Galindo é diretor artístico e regente titular, e Fábio Prado é regente adjunto. Desde janeiro de 2012, a orquestra é administrada pela Organização Social de Cultura Instituto Pensarte.

Sobre o regente
João Maurício Galindo, um dos mais ativos diretores de orquestra brasileiros, está à frente da Jazz Sinfônica há 11 anos, levando em seu currículo a honra de ter sido convidado a assumir este posto pelos próprios músicos da orquestra.
Galindo é também regente titular da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí. Foi regente da Orquestra Amazonas Filarmônica, da Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, e atuou como convidado frente a muitas outras, como a Sinfônica de Campinas, Sinfônica do Paraná, Petrobrás Sinfônica do Rio de Janeiro, Filarmônica de Belgrado, Sinfônica de Bari (Itália) e Sinfônica de Roma. Foi também regente da Orquestra de Alunos dos Festivais de Campos do Jordão em 1998, 2000 e 2002.
Acreditando que a boa música não deve ser privilégio de elites, empenha-se em levá-la a um número cada vez maior de pessoas. Assim, mantém dois programas radiofônicos de sucesso na Rádio Cultura de São Paulo: Pergunte ao Maestro e Encontro com o Maestro. Na TV Cultura apresenta o Pré-Estreia.
Foi um dos criadores da série de concertos infantis beneficentes O Aprendiz de Maestro, realizada há 10 anos na Sala São Paulo, produzida pela Tucca, associação que cuida de crianças e adolescentes com câncer. Em 2009 publicou, pela Melhoramentos, o livro Música, pare para ouvir.

Programa:
Estrepolia Elétrica (Moraes Moreira | Orquestração: Luis de Arruda Paes)
Lamento Sertanejo | Feira de Mangaio (Dominguinhos & Gilberto Gil | Sivuca & Glorinha Gadelha | Arranjo e orquestração: Fábio Prado)
Milagre dos Peixes (Milton Nascimento | Arranjo: Cesar Camargo Mariano | Orquestração: Nelson Ayres)
Pixinguinhando (Sobre temas de Pixinguinha | Tiago Costa)
Jobimniana (Sobre temas de Tom Jobim | Cyro Pereira)
Demais (Tom Jobim | Orquestração: Rodrigo Morte)
Aquarela de Sambas (Sobre temas de Ary Barroso | Cyro Pereira)
Bye-Bye Brasil (Roberto Menescal & Chico Buarque | Orquestração: Nelson Ayres)

SERVIÇO:

Orquestra Jazz Sinfônica
João Maurício Galindo, regente

16 de agosto, domingo, às 11h30
Theatro Municipal do Rio de Janeiro (Praça Marechal Floriano s/n, Centro – Rio de Janeiro. Tel.: 21 2332-9191)

Ingressos: R$ 10 (com meia entrada para estudantes e terceira idade).
À venda na bilheteria, no site Ingresso.com ou pelo telefone (21) 4003-2330

Duração: 60 minutos
Classificação etária: 5 anos

Fonte:  http://www.movimento.com/

Comentários