OS AMORES DE MANON NO THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO.

Paulo Szot é a estrela de nova montagem da ópera Manon Lescaut, de Puccini, que estreia em 29 de agosto em São Paulo.

A ópera italiana está de volta ao palco do Theatro Municipal de São Paulo. Manon Lescaut, de Giacomo Puccini (1858-1924), estreia no próximo dia 29 de agosto e terá, ao todo, oito récitas nos dias 30 de agosto, 1, 3, 5, 6, 8 e 10 de setembro. A montagem, inédita, tem direção cênica do italiano Cesare Lievi e direção musical do maestro e diretor artístico John Neschling.

                                                                            Paulo Szot

O elenco é encabeçado pelo premiado barítono Paulo Szot (Lescaut) e pelo tenor italiano Marcello Giordani (Cavalheiro Des Grieux), e tem ainda outros nomes de destaque na cena lírica, como soprano uruguaia Maria José Siri e a brasileira Adriane Queiroz, que se revezarão como a protagonista Manon. O elenco se completa com o barítono Guilherme Rosa (revezando-se no papel de Lescaut), Martin Muehle (também como Des Grieux), Saulo Javan no papel do velho Geronte, além de Valentino Buzza, Walter Fawcett, Matheus Pompeu, Malena Dayen e Leonardo Pace.
Desde o final da década de 1970 o título não era encenado na casa (durante a década seguinte houve duas montagens, apenas em versão de concerto). Para esse retorno, o diretor Lievi optou por manter o ambiente do libreto, situado no século 18. Apesar disso, Lievi destaca que a cena é concreta, porém metafórica. “Tudo é necessário para ajudar a entrar no coração da dramaturgia. Eu venho do teatro e, na ópera, preciso do teatro. Preciso de verdade humana”, destaca.
A dramaturgia, inclusive, é um aspecto que o diretor enfatiza bastante nesta montagem. “Os cantores não são apenas bons cantores, são também atores excelentes. Isso é importante”. E ainda comenta o trabalho de Szot: “Ele é maravilhoso”.
Lieve escolheu subtítulos para cada um dos quatro atos da ópera. O primeiro é a Primavera, impressionista, que retrata a leveza, vitalidade e a brincadeira da jovem Manon. O segundo ato é o Teatro, com uma linguagem mais expressionista. No terceiro, o Inferno, Lieve dialoga com o realismo. Enquanto o quarto ato – Deserto – tem uma linguagem surrealista, ilustrando a destruição de todos os elementos anteriores.

Elenco:
Manon Lescaut
Maria José Siri (dias 29/8, 1, 5, 8 e 10/9)
Adriane Queiroz (dias 30/8, 3 e 6/9

Des Grieux
Marcello Giordani (dias 29/8, 1, 5, 8 e 10/9)
Martin Muehle (dias 30/8, 3 e 6/9)

Lescaut
Paulo Szot (29/08, 1, 5, 8 e 10/9)
Guilherme Rosa (30/8, 3 e 6/9)

Geronte
Saulo Javan

Edmondo
Valentino Buzza (dias 29/8, 1, 5, 8 e 10/9)
Miguel Geraldi (30/9, 3 e 6/9)

Um acendedor de lampiões
Walter Fawcett

Professor de dança
Matheus Pompeu

Um músico
Malena Dayen

Um taberneiro
Leonardo Pace

SERVIÇO:

Manon Lescaut, ópera de G. Puccini
Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo
Coro Lírico Municipal de São Paulo

John Neschling, direção musical e regência (29, 30/8, 1, 5, 8 e 10/9)
Cesare Lievi, direção cênica

Michelangelo Mazza, regente assistente (dias 3 e 6/9)
Juan Guillermo Nova, cenografia
Marina Luxardo, figurinos
Cesare Agoni, desenho de luz

Theatro Municipal de São Paulo (Praça Ramos de Azevedo, s/n – São Paulo. Tel.: 11 3053-2090)
Ingressos: de R$ 50 a R$ 120, com com meia-entrada para estudantes, à venda na bilheteria e no site CompreIngressos.com

Capacidade: 1.500 lugares
Sugestão de faixa etária: acima de 10 anos
Duração 160 minutos (com dois intervalo)

Palestra com Leandro Oliveira
22/08, sábado, às 17h (duração aproximada de 1h)
Capacidade: 100 pessoas
Entrada franca

Fonte: http://www.movimento.com/

Comentários