100 ANOS DO COMPOSITOR KOELLREUTTER .



Encontro musical com piano, flauta e música eletrônica celebra o legado e os 100 anos do revolucionário compositor Koellreutter

A trajetória e experiência do compositor, professor e flautista Hans-Joachim Koellreutter, que foi professor de Tom Jobim, será celebrada por Sérgio Villafranca ao piano, Toninho Carrasqueira na flauta e Wilton Azevedo na música eletrônica, em uma jam session de música contemporânea

A apresentação que pretende envolver o público em suas percepções e vivência musical será no SESC Pompeia, na zona oeste de são paulo, no dia 6 de novembro às 21h.

Os artistas apresentarão composições de Koellreutter, com destaque para a interpretação da partitura esférica transparente da obra Acronon (1978/79), Bach, autorais e improvisações que aludem às ideias filosóficas e composicionais de Koellreutter em homenagem aos 100 anos de seu nascimento e 10 anos de sua morte (1915-2005).

Koellreutter chegou ao Brasil em 1937 fugindo do nazismo. Aportou no Rio de Janeiro e morou na pensão da mãe de Tom Jobim, onde conheceu o futuro maestro brasileiro e se tornou seu professor.

Sua pedagogia sacudiu normas caducas de conservatório e fez (literalmente) escolas Brasil afora, com laboratórios de ideias e criação no Rio, São Paulo e Bahia. Ele fez turnê na Europa junto ao compositor francês Darius Milhaud e lecionou na Alemanha, Índia e Japão, dentre outros países. Na Universidade Federal da Bahia, criou e dirigiu, a pedido do reitor Edgar Santos, o departamento de música que se tornou referência na América Latina, por onde passaram as mais representativas figuras da vanguarda internacional.

Foram alunos de Koellreutter maestros como Júlio Medaglia, Diogo Pacheco, Isaac Karabtchevsky, Benito Juarez; compositores como Cláudio Santoro, Edino Krieger, Guerra Peixe, Marlos Nobre, Roberto Schnorrenberg, Olivier Toni, Gilberto Mendes. Pianistas como Gilberto Tinetti, Clara Sverner; músicos da área popular como Tom Jobim, Tom Zé, Moacir Santos, Severino Araújo, K-ximbinho, Tim Rescala, Rogerio Duprat.

O compositor era um questionador e dizia que não há valores absolutos, mas relativos, e que os opostos não se excluem, são complementares. Algumas de suas marcas na história artística brasileira são a criação do Movimento e Grupo Música Viva e dos Festivais de Música. Impulsionou, assim, novas maneiras de pensar a música, integrando o passado e o presente, o tradicional e o que havia de novo em termos de técnica e estética composicional, interpretativa e educacional.

Vídeo:
https://youtu.be/dIIesvqChCw


SOBRE OS MÚSICOS
Sérgio Villafranca, com mais de 25 anos de carreira, dedica-se principalmente à música contemporânea e sua interface com a poesia, artes visuais e do corpo. Gravou o CD Acronon (2000) com obras de Koellreutter, Cabala (2008) com obras de Mauro Muszkat e esta com um projeto para seu primeiro CD autoral.
Toninho Carrasqueira é desses raros artistas que navegam com a mesma propriedade pelos universos erudito e popular, tradicional e contemporâneo. Possui uma história de centenas de concertos em mais de 40 países, com uma numerosa e premiada produção fonográfica.
Wilton Azevedo trabalha com a linguagem digital criando música eletrônica in loco e poesia visual.

SERVIÇO
Quando: Sexta-feira, 06/11/2015 às 21h
Onde: Teatro Sesc Pompéia
Duração: 60 minutos
Onde comprar:
Ingressos pelo site: http://www.sescsp.org.br/programacao/77150_100+ANOS+DE+KOELLREUTTER
R$30,00 (inteira), R$15,00 (meia-entrada) e R$9,00 (credencial plena do Sesc).

Comentários