JOSÉ LUIZ HERÊNCIA NÃO É MAIS DIRETOR GERAL DO THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO. ARTIGO DE ALI HASSAN AYACHE NO BLOG DE ÓPERA E BALLET.

   

   
   Carta encaminhada por José Luiz Herência à Secretaria Municipal de Cultura solicita sua exoneração do cargo de diretor geral da Fundação Theatro Municipal de São Paulo. Segundo a mesma a decisão é irrevogável e se refere a "divergências externas à instituição" e ao "embate entre visões distintas". 
   Herência assumiu o cargo no início da gestão John Neschling e ambos colecionam uma infinidade de polêmicas e lambanças, puxando de memória vou citar algumas: Demissões de excelentes funcionários, transferência de orquestras e corpos de baile, prioridade na contratação de cantores estrangeiros em detrimento dos brasileiros, cancelamento do ciclo "O Anel do Nibelungo" de Wagner iniciado na gestão anterior, atraso no pagamento dos cachês, briga com o diretor Giancarlo del Monaco, processo do tenor Marcelo Alvarez contra o teatro, músicos indo reclamar de assédio moral no sindicato e cancelamento de espetáculos programados para 2015 e 2016. Se algum leitor lembrar de mais alguma polêmica pode enviar via mensagem. Abaixo segue trecho da carta de Herêcia à Secretaria Municipal de Cultura:

“A Fundação Theatro Municipal é um enorme complexo de formação e atuação artística, de destacada importância para a arte e a cultura no país. Divergências pessoais, interferências exteriores à instituição ou mesmo o embate entre visões distintas a respeito de sua gestão e do papel que deve exercer no panorama artístico brasileiro não podem comprometer as atividades do Municipal”. 
   Prossegue a carta. “Centenas de vidas dedicaram-se e ainda dedicam-se, algumas há décadas, ao esforço de tornar o Theatro Municipal altamente relevante no país e no exterior. Não fomos nós que iniciamos essa jornada. Consolidá-la ainda é uma tarefa para o presente e para o futuro. Um teatro aberto para a vida cultural de São Paulo, vivo e atuante, capaz de romper as fronteiras entre a cidade real em que vivemos e a metrópole cosmopolita em que sonhamos viver, comprometido com o fortalecimento da arte e dos artistas brasileiros, reconhecendo e apoiando sua profissionalização, de modo que eles possam – cada vez mais – brilhar nos palcos de São Paulo, do Brasil e do mundo”.

Ali Hassan Ayache

José Luiz Herência, foto Internet

Comentários

Postar um comentário