"ADRIANA LECOUVREUR", DE CILEA, VOLTA A SÃO PAULO.

Montagem inédita no Theatro São Pedro tem no elenco Daniella Carvalho, Denise de Freitas e Eric Herrero, com regência de Luiz Fernando Malheiro e direção cênica de André Heller-Lopes.


A ópera em quatro atos composta por Francesco Cilea (1866-1950), baseado no libreto de Arturo Colautti e inspirada na atriz francesa de Adrienne Lecouvreur, é o segundo título da temporada lírica 2016 do Theatro São Pedro, em São Paulo. A estreia ocorre no dia 6 de abril, à qual se seguem seis récitas nos dias 8, 10, 13, 15 e 17 de abril.Adriana Lecouvreur volta a São Paulo após um intervalo de 65 anos – a última apresentação foi durante a temporada de 1951 no TMSP. A atual montagem tem regência e direção musical do maestro Luiz Fernando Malheiro. A concepção e direção cênica ficam por conta de André Heller-Lopes.
Destacam-se no elenco a soprano Daniella Carvalho como a personagem-título, o tenor Eric Herrero como Maurizio e a mezzo-soprano Denise de Freitas como a Princesa de Bouillon.
A ópera traz ainda o elenco estável do Theatro São Pedro: o baixo Gustavo Lassencomo o Príncipe de Bouillon, o tenor Daniel Umbelino como o Abade de Chazeuil, o barítono Johnny França no papel de Michonnet, a soprano Maria Sole Gallevivivendo Mlle. Jouvenot, a mezzo-soprano Cecília Massa como Mlle. Dangeville, o tenor Mar Oliveira como Poisson e o tenor Edilson Junior, da Academia de Ópera do Theatro São Pedro, no papel do mordomo.
A montagem tem a cenografia é de Renato Theobaldo, figurinos de Fabio Namatame e desenho de luz de Fabio Retti. A Orquestra do Theatro São Pedro (Orthesp) será regida pelos maestros Malheiro e Flávio Lago (8, 13 e 15 de abril), com a participação do Coral Lírico Paulista, regido por Nibaldo Araneda.
Os ingressos custam de R$ 30 a 80, com meia-entrada para todos os setores, e podem ser adquiridos na bilheteria do Theatro São Pedro ou pelo site IngressoRapido.com.br.

Adriana Lecouvreur
Adrianne Lecouvreur foi uma atriz que revolucionou teatro francês por sua abordagem naturalista da aparência e discurso. Evitando o declamando de suas linhas, ela impressionou o público com o poder de sua apresentação.
Na ópera de Cilea, a atriz é apaixonada por Maurizio, Conde da Saxônia, a quem ela conhece apenas como um soldado. Sua rival é a Princesa de Bouillon, que sente ciúmes e planeja vingança. Quando é insultada por Adriana durante a leitura pública de Fedra, de Racine, ela redobra sua determinação para acabar com a atriz. Ela envenena um ramo de violetas e envia para a rival, certa de que ela vai acreditar que as flores foram enviadas por Maurizio. Este chega para pedir a mão da amada em casamento pouco antes que ela sucumba e morra.
Cilea passou por vários períodos importantes da ópera italiana. Nascido antes do advento do verismo, ele viveu o fim do grande derramamento do teatro lírico de Puccini, Mascagni, Leoncavallo, Giordano. Apesar de várias obras, Cilea é conhecido por duas óperas, L’Arlesiana, estreou em 1896, e Adriana Lecouvreur, encenada pela primeira vez em de Milão Teatro Lirico em 6 de novembro de 1902.
Para o diretor cênico, André Heller-Lopes, “O mais fascinante em uma ópera como Lecouvreur é sua contemporaneidade. Escrita no início do século 20, fala do universo artístico do final do 17 e início do 18. A música tem o coração do romantismo, mas a cena pretende voltar quase dois séculos. No final das contas, por trás das perucas empoadas, o que vem à tona é a mesma realidade dos nossos amores e dos bastidores da arte. São celebridades de seu tempo”.

Palestra
O Theatro São Pedro realiza uma palestra gratuita que antecede todas as récitas deAdriana Lecouvreur. A palestra será ministrada por Sergio Casoy e aborda de forma descontraída e informativa a vida dos compositores, as circunstâncias históricas da composição, além da história das óperas e curiosidades.
Acessibilidade comunicacional
Nas récitas dos dias 13 e 15, às 20h, e 17 de abril, às 17h, haverá acessibilidade para cegos e surdos. Para utilizar este recurso, os interessados poderão usar o seu próprio aparelho de celular ou tablet.
Elenco:
Daniella Carvalho, soprano (Adriana Lecouvreur)
Eric Herrero, tenor (Maurizio, Conde de Saxônia)
Denise de Freitas, mezzo-soprano (Princesa de Bouillon)
Gustavo Lassen, baixo** (Príncipe de Bouillon)
Daniel Umbelino, tenor** (Abade de Chazeuil)
Johnny França, barítono** (Michonnet)
Maria Sole Gallevi, soprano** (Mlle. Jouvenot)
Cecília Massa, mezzo-soprano** (Mlle. Dangeville)
Mar Oliveira, tenor** (Poisson)
Gustavo Müller, baixo (Quinault)
Edilson Junior, tenor* (Mordomo)
* Aluno da Academia de Ópera Theatro São Pedro
** Elenco estável Theatro São Pedro 2016
Ficha Técnica:
Luiz Fernando Malheiro, direção musical e regência
Flávio Lago, regência (8, 13 e 15 de abril)
André Heller-Lopes, direção cênica
Renato Theobaldo, cenografia
Fábio Namatame, figurino
Fabio Retti, desenho de luz
Foto do post: Daniella Carvalho e Eric Herrero em ensaio da ópera, por Heloísa Bortz

SERVIÇO:

“Adriana Lecouvreur”, ópera de Francesco Cilea

6, 8, 13 e 15 de abril, às 20h; 10 e 17 de abril, às 17h
Theatro São Pedro (Rua Dr. Albuquerque Lins, 207 – São Paulo – metrô Marechal Deodoro. Tel.: 11 3661-6600)

Ingressos: R$ 80 (plateia), R$ 40 (1º balcão) e R$ 30 (2º balcão), com meia-entrada para estudantes, pessoas acima dos 60 anos e professores da rede pública estadual, devidamente identificados
À venda na bilheteria do Theatro (acesso pela R. Barra Funda, 171 – Metrô Marechal Deodoro), de terça a sábado, das 10h às 20h, e domingo, das 10h às 18h, ou pelo site IngressoRapido.com.br

Duração: 120 minutos
636 lugares

Fonte:  http://www.movimento.com/