UM BALÉ PARA "TITÃ". BALÉ DA CIDADE DE SÃO PAULO FAZ GRANDIOSA E RARA MONTAGEM DE 1° SINFONIA DE MAHLER.

Balé da Cidade de São Paulo faz grandiosa e rara montagem da 1ª Sinfonia de Mahler, com direção do italiano Stefano Poda.


O novo espetáculo do Balé da Cidade de São Paulo será diferente de tudo que a companhia já produziu até agora. Projeto autoral do aclamado diretor italiano Stefano Poda, a Sinfonia n. 1 em ré maior, de Gustav Mahler – conhecida como Titã– é uma obra ambientada em um cenário que em nada perde para as óperas encenadas no Theatro Municipal de São Paulo ou em qualquer outro grande palco do mundo. A temporada começa no dia 10 de setembro, às 20h, no palco do Municipal, e segue nos dias 11, às 17h, e 13, 14 e 15 de setembro, às 20h. A Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, sob a regência do maestro residente Eduardo Strausser, acompanha todas as apresentações.
Titã é a primeira obra sinfônica completa do compositor austríaco interpretada pelo Balé da Cidade de SP. “Mahler é hoje um dos compositores sinfônicos mais executados no mundo, as orquestras tocam mais do que Beethoven e Mozart porque a sua música dialoga com o mundo contemporâneo”, comenta Strausser. Em conjunto com o maestro e os bailarinos, Poda tem procurado a melhor forma de passar uma imagem poética-visual da sinfonia.
O diretor italiano já produziu cerca de 100 espetáculos na Europa, América do Sul, América Central e Estados Unidos. Em 2015, montou Thaïs, de Jules Massenet, no Theatro Municipal com a participação da companhia. A peça estreou em 2008 no Teatro Regio di Torino, na Itália. Em 2012, a montagem foi considerada pela BBC Music Magazine uma das 20 melhores das últimas duas décadas.
Após o sucesso da temporada e o entrosamento entre Poda e a companhia, a diretora artística do Balé da Cidade de SP, Iracity Cardoso, o convidou a criar uma obra apenas para o grupo. “Titã é fruto de uma ótima colaboração com o Balé da Cidade. O espetáculo vai mostrar a versatilidade e entrega dos nossos excelentes bailarinos. Além do mais, trabalhar com o Stefano é um desafio porque as propostas vêm sempre carregadas de um sentido, expressão intensa e exigentes qualidades artísticas”.
Além deste novo trabalho, Poda dirigirá a montagem de Fosca, ópera de Antônio Carlos Gomes. As récitas ocorrem em dezembro e encerram a temporada de 2016 do Theatro Municipal, com a participação também do Balé da Cidade. Para os dois espetáculos, o italiano assina a direção de cena, cenografia, desenho de luz, figurinos e coreografia.

Titã
Considerado pela imprensa internacional como um “artesão” devido a sua forte ligação com a estética, o diretor italiano diz que Titã será um espetáculo no qual todas as artes conversam. “Não é uma trilha sonora e em cima dela vem uma coreografia. É uma oportunidade de fazer uma viagem através das emoções, desde as mais extremas às mais simples. É uma reflexão sobre o nosso tempo, nossa vida”, explica. Para quem construiu sua carreira com as riquezas das óperas, o novo espetáculo, sem as amarras do libreto, tem um significado especial, pois permite uma liberdade de criação que não existe nas temporadas líricas.
Pela primeira vez na história da companhia, todos os 34 bailarinos estarão em cena durante os 70 minutos de espetáculo, que se desenrola em uma instalação de arte contemporânea. No palco, uma menina constrói castelos de areia na praia. A cada dia, a maré chega e desmancha. “Teremos uma praia de arroz enorme. Por que o arroz e não a areia? A areia fica e o arroz se dilui. É o reflexo do nosso mundo em que os momentos sempre fogem”.
Provocador em suas montagens, o italiano gosta que o público seja espectador de si mesmo. “Ofereço apenas uma lente para que ele se olhe… quero que as pessoas se deixem levar, não pensem”.
Fotos: Arthur Costa

SERVIÇO:

“Titã”

Música de Gustav Mahler
Coreografia e direção de Stefano Poda

Balé da Cidade de São Paulo
Orquestra Sinfônica Municipal
Eduardo Strausser, regência

10, 13, 14 e 15 de setembro, às 20h
11 de setembro, domingo, às 17h

Theatro Municipal de São Paulo (Praça Ramos de Azevedo, s/n, Centro – São Paulo. Tels.: 11 3053-2100 e 3053-2090)

Ingressos: de R$ 25 a 90, com meia-entrada para aposentados, maiores de 60 anos, professores da rede pública e estudantes
À venda na bilheteria e no site CompreIngressos.com

Capacidade: 1.500 lugares
Duração aproximada: 70 minutos

Fonte:  http://www.movimento.com/

Comentários