EUGENE ONEGIN - OBRA PRIMA DE TCHAIKOSVSKY EM MONTAGEM MEMORÁVEL DO MET. CRÍTICA DE ALI HASSAN AYACHE NO BLOG DE ÓPERA & BALLET.

  


   Uma de minhas óperas russas favoritas, Eugene Onegin,  de Tchaikovsky, já foi apresentada nos cinemas nacionais. Como não tenho tempo para ir ao cinema, me contentei com o DVD. Igualzinho ao apresentado no cinema.
As óperas produzidas nos dias atuais são pensadas e programadas do teatro para o vídeo. Cada vez mais, se nota a estética da imagem nas apresentações: cenários, figurinos, iluminação, movimentações dos cantores e coral, tudo é pensado para que a gravação fique plástica. Acabou o tempo de uma câmera no centro gravando tudo. Agora  temos diversas câmeras,  que cobrem ângulos antes inimagináveis. 
   A versão do Metropolitan Opera House de New York tem elenco estrelar. O barítono Dmitri Hvorostovsky, excepcional como Onegin. O soprano Renée Fleming , voz lírica, adocicada, manda muito bem na ária da Carta, grande Tatiana. Ramón Vargas é  um dos grandes tenores da atualidade, e sua ária de despedida é comovente. Destaque com louvor para Sergei Aleksashkin como Príncipe Gremin, belíssima ária cantada por um baixo portentoso e o por mim desconhecido Jean-Paul Fouchécourt, um Triquet hilário. Não posso afirmar se houve manipulação das vozes no vídeo, o que ouvi beirava a perfeição.
   Os cenários  concebidos por Michael Levine são quase inexistentes, tem virado moda espetáculos com palcos limpos. Dá um ar de moderno à função, e ainda se economiza uma bela grana. Os figurinos são corretos, pecam na cena do baile do segundo ato, visual caipira demais aos participantes da festa. A direção de Peter McClintock usa uma idéia manjada, faz com que Onegin apareça no começo do espetáculo lamentando seu destino. Com a carta de Tatiana na mão, ele vai relembrando os acontecimentos através da ópera. A iluminação é ponto forte da produção, inteligente e criativa, realça os acontecimentos com clareza.
Apresentado pela saudosa Beverly Sills, o  DVD contém entrevistas com os protagonistas e produtores e mostra os bastidores da montagem.  

   A regência de Gergiev é simples, direta, efetiva. Maestro russo que entende a sutileza e  a delicadeza da partitura e faz a orquestra expressar essa sensibilidade. A imagem e o som gravados em HD são impecáveis, a direção de imagens do veterano e experimentado Brian Large é excelente. Enfim! Um DVD de Eugene Onegin imperdível para quem gosta de ópera russa.
Ali Hassan Ayache

Comentários