MUNICIPAL DO CHILE APRESENTA SEIS ÓPERAS EM 2017. ARTIGO DE MARCO ANTÔNIO SETA NO BLOG DE ÓPERA & BALLET.

   

   A temporada lírica de 2017 do Teatro Municipal de Santiago se inicia com a ópera Jenufa, de Janacek, cuja música transcende a dura realidade da vida. O maestro Konstantin Chudovsky é o regente e diretor musical; concepção cênica de Jorge Lavelli; com Dina Kuznetsova, Tanja A. Baumgartner, Tomas Juhas, Peter Berger, Lina Escobedo, Marcela Gonzalez, Javier Weibel, David Gáez,  Paola Rodriguez, Yaritza Véliz e Sonia Vasquez. As récitas estreia em 12 de maio, seguidas de 15, 17, 20 e 22 de maio. 
      As Bodas de Fígaro", de Mozart, um divertido jogo de intrigas, ambientada na Sevilla do Séc. XVIII, com dois elencos: Attilio Cremonesi, diretor musical; Pierre Constant direção de cena. Fígaro: Igor Onishchenko e Javier Weibel; Conde de Almavivia: Zheng Zhong Zhou e Patrício Sabaté; Susana: Angela Vallone e Patrícia Cifuentes; Condessa de Almaviva: Nadine Koutcher e Paulina González; Querubino: Maite Beaumont e Marcela González; D. Bartolo: Sérgio Gallardo e Rodrigo Navarrete; com Paola Rodriguez, Andrea Aguilar, Gonzalo Araya, Francisco Huerta, Victor Escudero, Ezequiel Sánchez, Jaime Mondaca, Matias Moncada, Regina Sandoval e Annya Pinto. As récitas serão em 14, 16, 17, 19, 20, 21 e 22 de junho.
       Rigoletto, de Giuseppe Verdi consolida a figura do barítono no papel título. Maximiliano Valdés é o diretor musical e regente; direção de cena de Walter Sutcliffe, cenografia e figurinos de Kaspar Glarner em co-produção com o Teatro Colón de Buenos Aires. Os barítonos Sebastian Catana e Fabián Velóz; Yijie Shi e Juan Pablo Dupre (Duque de Mântua); Sabina Puértolas e Jaquelina Livieri; Alexey Tikhomirov e Marcelo Otegui (Sparafucile); mais Judit Kutasi e Francisca Múñoz; Ricardo Seguel e Cristián Lorca; Claudia Lepe; Rodrigo Navarrete e Augusto de la Maza, Javier Weibel, Crístian Moya, Claudio Cerda e Rony Ancavil com Pamela Flores. Récitas dias 14, 15, 17, 18, 19, 20 e 22 de julho.  
       La Cenerentola, de Rossini, nos revela as infinitas possibilidades de virtuosismo que caracterizam o "bel canto" .  Com direção musical e regência de José Miguel Pérez Sierra e Pedro-Pablo Prudencio; direção de cena de Jérome Savary; cenografia e vestuário de Ezio Toffolutti com José Maria Lo Monaco e Evelyn Ramíez como Angelina; Don Magnífico Pietro Spagnoli e Sérgio Gallardo (dia 25/8); Michele Angelini e Santiago Burgi; Joan Martin-Royo e Patrício Sabaté; Ricardo Seguel e Matias Moncada, com Yaritza Véliz (Clorinda) e Marcela González (Tisbe). As récitas serão dias 19 às 17h00; 21, 22, 23, 24 e 25 de Agosto. 
        Lady Macbeth de Mtsensk, de Shostakovich, terão récitas em 12, 14, 16, 17, 18 e 19 de Outubro. Com regência de Konstantin  Chudovsky e direção de cena de Marcelo Lombardero;  cantam Elena Mikhaylenko e Eugenia Fuente; Alexey Tihhomirov e Alexander Teliga, Boris Sepanov e Pedro Espinoza; Mikhail Gubsky e Enrique Folger; Evelyn Ramírez; Paola Rodriguez, Gonzalo Araya, Sergio  Gallardo, Javier Weibel entre outros solistas.
         E finalmente,  "Aída", de Giuseppe Verdi, que representa a apoteóse da teatralidade verdiana sob a direção musical de Andrea Battistoni e Pedro - Pablo Prudencio (no elenco estelar) com direção de cena, cenografia, figurinos e iluminação de Hugo de Ana, coreografia Leda Lojodice. No elenco Aída: Cellia Costea e Monica Ferracani; Radamés: Alfred Kim e José Azócar; Amneris: Marina Prudenskaya e Guadalupe Barrientos; Amonasro: Vitaliy Bilyy e Cristián Lorca; Ramfis: In-Sung-Sim e Homero Pérez-Miranda; Il Ré: Cristián Reyes e Jaime Mondaca;   Mensageiro: Rony Ancavil e Claudio Cerda. Participação do Ballet de Santiago, Orquestra Filarmônica de Santiago e Coro do Teatro Municipal. As récitas serão dias 04 e 11 de novembro em vesperal às 17h00;  e 8, 9, 10, 13, 14 e 15 de Novembro às 19h00. Um co-produção com o Teatro Real de Madri e Colón de Buenos Aires. 

Escrito por Marco Antônio Seta. 
        
     
  Na foto Cellia Costea na "Aída", de Verdi

Comentários