JUSTIÇA DETERMINA PRESERVAÇÃO DA BANDA SINFÔNICA EM DECISÃO LIMINAR.



Após a pedido do Ministério Público SP, Estado deverá atuar em dez dias

Atendendo a pedido de concessão de tutela antecipada do promotor de Justiça Marcos Stefani, a Justiça determinou em caráter liminar que o Estado de São Paulo adote medidas necessárias à preservação e promoção da Banda Sinfônica no prazo dez dias, a contar da intimação, sob pena de multa diária de R$ 100.000,00.

Em fevereiro deste ano o Estado promoveu demissão coletiva de integrantes da banda e extinção do respectivo corpo artístico. Criada em 1989 pela Secretaria de Estado de Cultura, atuava na difusão da música de concerto e de composições brasileiras e promovia apresentações com entrada franca em diversos estabelecimentos culturais.

No pedido, o promotor do Meio Ambiente destacou que a banda é um bem imaterial de “nítido valor artístico e cultural” capaz de atuar em qualquer palco, sob condições favoráveis ou não, mostrando a competência de seus músicos diante de qualquer repertório.

Com a decisão da juíza Simone Gomes Rodrigues Casoretti, o réu fica obrigado a se abster de praticar qualquer ato tendente a extinguir a Banda Sinfônica.


Núcleo de Comunicação Social
Ministério Público do Estado de São Paulo - Rua Riachuelo, 115 – São Paulo (SP)
comunicacao@mpsp.mp.br | Tel: (11) 3119-9027 / 9028 / 9031 / 9032 / 9039 / 9040 / 9095

Fonte: http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/noticias/noticia?id_noticia=16980410&id_grupo=118

Comentários

  1. Muito mais que uma vitória da Cultura e da Música, uma vitória para toda a Sociedade, uma vitória para a cidadania, uma vitória de todos nós....ainda existe esperança....

    ResponderExcluir
  2. Era de se esperar esse desfecho,aja vista a descarada resposta que deram justificando a demissão dos músicos,sugerindo que a banda poderia buscar recursos junto a iniciativa privada.Esses fanáticos liberais que o povo de SP coloca no poder,acham que o Brasil é como os Estados Unidos ou que seguindo o exemplo dos paulistas o Brasil será como a gringolândia.Falando em seguir modelos,lá por causa de um imposto que taxa até mais da metade das heranças dos muito ricos(muita gente não sabe que nos EUA também taxam fortunas)esses magnatas doam muito para universidades,hospitais,bibliotecas,conservatórios,etc quantias fabulosas para ficarem isentos do imposto,enquanto no estado de SP existe uma lei que TAXA DOAÇÕES ELEVADAS PARA OBRAS DE FILANTROPIA!Imagino também que o modelo das organizações sociais tinha como objetivo secreto jogar nas mãos da iniciativa privada muitas instituições,ou facilitar livrar-se delas posteriormente,TAL QUAL ESTAMOS VENDO AGORA.Como adendo a forma como uma orquestra é mantida,com dinheiro do governo ou de particulares,não diz nada sobre a qualidade artística, o regime soviético era um inferno para os criadores musicais e para qualquer cabeça ajuizada,mas produziu intérpretes musicais de altíssimo nível quase como produziu esportistas.A questão é cultural,não política ou econômica,temos uma ''elite'' nesse país que age como uma ralé,devem ser declarados incapazes.Acerca dos nossos museus,universidades,teatros e salas de concerto,se o governo tira dinheiro destas instituições para pagar juros à banqueiros,a classe intelectual e artística deve tomar conta destes espaços,expulsar madames e engravatados que querem posar de benfeitores sendo que apenas doam migalhas e deve humilhar publicamente e escracharem estas figuras caso ousem pisar nos concertos da Sala São Paulo por exemplo,gente como Pedro Moreira Salles(embora este tenha dois irmãos cineastas muito bons)presidente do Itaú,Luiz Carlos ''Trabuco'' Cappi,presidente do Bradesco,Joseph Safra,presidente do banco Safra,segundo homem mais rico do Brasil e banqueiro mais rico do mundo,todos anunciados como patrocinadores no site da fundação OSESP,isso tudo pela simples razão de a queda de 27 por cento do orçamento da orquestra por exemplo para este ano não se deve a uma diminuição do dinheiro do governo destinado ao conjunto, E SIM DO DINHEIRO QUE VINHA EM PARTE DE DOAÇÕES DE PARTICULARES COM ESTES CITADOS.ISSO A REVISTA CONCERTO NÃO FALA!Neste pais com 14 milhões de desempregados,o setor bancário,que não produz nada,foi o que mais lucrou no Brasil este ano segundo dados mais recentes,conclui-se indesculpável cortar drasticamente o patrocínio de uma orquestra do prestígio da sinfônica do estado.Sugiro que a sociedade exija que se investigue se isso que aconteceu com nossa orquestra mais famosa aconteceu com outras instituições culturais que hoje estão em agonia,como a OSB por exemplo que é privada.Saludos,Isaac Carneiro Victal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente dissertação, precisamos de pessoas como você para instruírem um pouco nosso povo alienado pela mídia mais suja do mundo...

      Excluir
    2. Coloco-me à disposição,isso que eu fiz não foi nada,apenas reuni informações que encontrei na mídia convencional mesmo além de algumas leituras e tirei algumas conclusões.Vejam só, até a revista Veja fez uma entrevista recentemente com um político chamado Miro Teixeira,citando os bancos como personagens principais de escândalos que em breve vão explodir,mencionou inclusive André Esteves(do BTG Pactual,também patrocinador da OSESP) e o já citado por mim Joseph Safra.É um absurdo que estão omitindo o papel que esta gentinha está desempenhando no intuito de desestabilizar o nosso país,principalmente na redução de verbas e patrocínio para as instituições culturais,pois estas últimas ao abrigarem pessoas com mais senso crítico,intelectuais e artistas,estão agora sendo alvo de ataques impiedosos.O que mais me revolta é ver que a fundação OSESP ainda continua anunciando estes canalhas como patrocinadores,mas a notícia da diminuição drástica de patrocínio vindo destes particulares não se espalhou,só estão falando do governo e poupando os empresários.O fato de nosso país estar em crise e instável e os banqueiros lucrando,isto está intimamente relacionado.Dentre os países que se podem comparar ao nosso;a saber China,Rússia,Argentina,África do Sul,México entre outros nenhum está passando por momentos delicados como a gente e também nenhum cobra juros extorsivos como aqui.Costumo dizer que hoje o Brasil vive para sustentar banqueiros,estes não vão encontrar em nenhuma outra nação as possibilidades de enriquecer às custas de todo o resto da população como aqui,sem pagar impostos etc.De fato parte deste povo,mesmo sendo prejudicado e as forças armadas também,estão ambos armados hoje para defender na verdade os interesses sujos de algumas famílias de banqueiros no Brasil.Isaac Carneiro Victal.

      Excluir

Postar um comentário