VINÍCIUS ATIQUE ESBANJA TALENTO EM WINTERREISE NO MUNICIPAL DE SP. CRÍTICA DE ALI HASSAN AYACHE NO BLOG DE ÓPERA & BALLET.

  
     O barítono Vinícius Atique segura um candelabro no lado direito da imagem, na esquerda um homem segura uma mala nos braços, um está olhando para o outro com olhar sinistro. #pracegover. Foto Internet
  
    O Balé da Cidade de São Paulo dá sequencia a sua temporada 2017 com uma obra complexa e escrita para canto e piano. Winterreise são vinte e quatro canções conhecidas em alemão como lieder compostas por Franz Schubert com poemas de Wilhelm Müller. Narram um viajante solitário que enfrenta diversos mistérios de sua existência que estão acima de sua compreensão. Tudo é sombrio e melancólico em seu estado de espírito, realçados pela gélida neve e o frio do inverno o clima vira uma deprê total.
   O ciclo de canções de Schubert foi escrito para tenor acompanhado de piano. Outros tipos de vozes são bem vindos e frequentemente usados. Dois intérpretes, pianista e cantor tem uma partitura rica em figuras de linguagem com imagens simbólicas: metáforas, hipérbole e comparações entre outras. O piano passa diversos estados da alma, verdadeiros quadros de uma pintura em forma musical. Solista e pianista devem harmonizar o canto, o piano é mais que um mero acompanhador, deve impor a identidade musical presente na partitura. O pianista Anderson Brenner expressou os sentimento contidos na partitura em uma excelente apresentação.
   A escolha do solista para essa obra é deveras complexa. Exige um cantor com resistência para ficar uma hora e vinte minutos no palco soltando o vozeirão e para complicar a montagem do Theatro Municipal de São Paulo faz com que ele cante deitado, dance, interprete e caminhe pelo palco a toda hora. Tarefa hercúlea vencida com louvor pelo barítono Vinícius Atique. Apresentou uma voz no auge: limpa, pura e dotada de um timbre único. Transformou a dureza da língua alemã em poesia lírica. Atuou e desfilou um talento inigualável, nas passagens suaves parecia um Jesus Cristo com sua vasta cabeleira. Vinícius Atique, o melhor cantor de música de câmara do Brasil.
   O concerto dançante tem coreografia de Ismael Ivo, antenado com a dança contemporânea opta pelo abstrato e pelo imaginário em passos simples. Dança minimalista que aparenta uma simplicidade enganadora, esta transformada em complexidade pelo conjunto da obra. Utiliza a psicologia como referência e faz o protagonista ir da camisa de força à liberdade dos gélidos campos nevados em busca de um amor etéreo. Como apoio tem um cenário de Marcel Kaskeline que realça a percepção do frio, uma luz estática de Valeria Lovato e um figurino correto de Juliana Andrade.
   A execução do prólogo no Foyer do teatro introduz o espectador ao que está por vir. Começa por volta das 19h:30min, quem chega mais tarde perde a introdução já que o evento tem horário de início as 20h:00min horas.  
Ali Hassan Ayache

Comentários

Postar um comentário